MORRE EM GOIANIA A TERCEIRA VITIMA DO ACIDENTE NA GO 210 EM SANTA HELENA DE GOIÁS. PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 
Escrito por plantao   

Rio Verde 26/07/2017.

Morreu ontem em um hospital de Goiânia a vitima Lorenia Alves Vieira Costa, esposa do motorista do carro que queimou em incêndio ocorrido em um canavial na GO 210 em Santa Helena, no último domingo.

Sobre o acidente:

O acidente que causou a morte de uma criança de 3 anos e uma adolescentes, de 15, após o carro em que elas estavam cair em um canavial em chamas foi causado pela fumaça na pista, segundo o Corpo de Bombeiros.

Outros três passageiros ficaram gravemente feridos e estão internados na UTI de um hospital em Goiânia.

O grupo seguia pela GO-210 no domingo (23), quando passou por um canavial que estava pegando fogo, em Santa Helena de Goiás. O condutor do veículo foi surpreendido por uma cortina de fumaça e fez com que ele perdesse a noção de direção do veículo e saísse da rodovia, só parando dentro do fogo.

O motorista, Francisco José Costa, não se feriu. Lorena Alves Vieira Costa, esposa dele, Wannyel Tayllor Prado Pires e Jhowesley Vieira do Carmo, que também estavam no carro, tiveram queimaduras em diversas partes do corpo. Eles foram levados para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) em Goiânia. Lorena morreu ontem na unidade de saúde.

Jhowesley continua em estado gravíssimo e respirando com ajuda de aparelhos. Já Wannyel está em estado grave e também respira com a ajuda de aparelhos.

David Lucca Pereira Costa de 3 anos, neto de Francisco, e Ester Alves Vieira Costa, filha dele,  são as duas vitimas que morreram no local do acidente.

Em 2017 já foram registradas mais de 30 mil queimadas em todo país. Desse total, 10.044 foram registradas na região Centro-Oeste. "Durante esse período, o aumento de queimadas às margens da rodovia causa risco de acidentes muito grave e muito sérios aqui na região", disse o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Moisés Alves.

Em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, uma queimada em área de pastagem destruiu árvores e chegou muito próximo de uma casa. “Meu filho tem que fazer nebulização quase todo dia porque não consegue dormir por causa dessas fumaças, poeira.

O tempo já está seco e ainda coloca fogo assim, é meio sem lógica”, disse o mototaxista Francisco de Assis Cardoso.

“Um incêndio que coloca em perigo vida, patrimônio alheio, a pena prevista é de seis anos de reclusão e multa. Já incêndio em mata, floresta, a pena máxima é de quatro anos. Portanto, este crime de incêndio dá cadeia”, afirmou o delegado do Meio Ambiente, Luziano de Carvalho.

Informou: www.plantaopolicialrv.com.br

Fonte: Corpo de Bombeiros e familiares das vitimas.

Última atualização em Qua, 26 de Julho de 2017 07:23